Uncategorized

Toilet Couture

October 8, 2011
Existem momentos em que me questiono se é possível que alguém no universo da moda ainda apresente alguma proposta totalmente inovadora, jamais vista antes. Sinceramente acredito que tal façanha seja difícil de acontecer em virtude da história da indumentária já ter nos apresentado inúmeras formas, cores, padronagens, e etc., não sendo raro coleções que restauram roupas de décadas passadas. Obviamente, por sorte, ainda temos bons designers imensamente criativos e capazes de nos deslumbrar, mas a ruptura com a estética corrente tem se demonstrado mais complicada. Não é mais tão simples chocar e inovar como Dior fez ao adicionar metros de panos à sua saia New Look no pós guerra. Talvez, olhando o cenário atual, eu ainda veja sinais de maior frescor e ousadia em Hussein Chalayan e em alguns trabalhos de Victor&Rolf. Mas acho que a inovação do futuro fique mais por conta dos novos materiais como tecidos tecnológicos do que de fato nos shapes e prints.
Em vista disso, me surpreendo bastante quando estilistas conseguem propor algo totalmente outside of the box, reformulando conceitos e transformando idéias. E foi assim que me senti quando vi o trabalho de uma dezena de estilistas canadenses que criaram vestidos feitos de papel higiênico para um desfile beneficente da semana passada. Neste caso o inusitado não vem da trama têxtil tecnológica nem da forma futurista, mas sim da reformulação do uso de um produto tão cotidiano e até banal. Tal evento foi patrocinado pela marca Cashmere de papéis e o objetivo era levantar fundos para instituições contra o câncer de mama – o que mostra a nobreza da iniciativa.
 Juro que ao ver o resultado final nas fotos jamais diria serem de papel os cocktail dresses e longos, ainda mais de papel higiênico. Alguns estilistas se mantiveram fiéis ao uso do papel apenas, enquanto outros contaram com a ajuda de produtos pra dar maior firmeza e estabilidade para poderem fazer suas roupas. Também era ainda autorizado a utilização de strass, fitas ou tule, mas nada de peles ou penas e as cores eram rosa e branco. O resultado está logo abaixo: 
Carrie Hayes
Chris Tyrell and Jim Searle
Christopher Paunil
José-Manuel St-Jacques
Philip Sparks
Simon Bélanger
E teve inclusive look masculino!

LIZARES by Brian Maristela
Enhanced by Zemanta

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply