Uncategorized

De 2002 a 2012 nem tudo mudou

May 4, 2012
Estou ciente de que o Garotos de Saia não é blog de música. E sim, também sei que não tenho idade pra curtir Justin Bieber. Apesar de não ser fã dele, o fato é que o último video, “Boyfriend”, que foi lançado hoje me chamou a atenção.
A música já lembrava bastante o Justin Timberlake, e agora com as referências visuais do clipe ficou muito mais evidente que Bieber quer fazer um upgrade e ser o novo Timberlake.
A aglomeração de pessoas numa tarde de sol com carros, muito streetwear e garotas de poucas roupas são bem a cara de “Girlfriend” do N’Sync de 2002. Perceptível até o título das músicas “Boyfriend” e “Girlfriend” – bem sugestivo. Diria que é quase que um revival dos anos 2000. 

Isso me faz pensar que em termos de moda, em uma década nem tanta coisa mudou. Vivemos em um cenário de multitendências  relâmpago, em que não há mais uma linha central mandatória a se seguir. Na década de 50, por exemplo, as mulheres obrigatoriamente usavam saias ou vestidos logo abaixo dos joelhos. Enquanto que atualmente vivemos uma liberdade tão grande que não existe mais um fio condutor   do que vestir necessariamente. Sinto que especialmente a partir de 2000 vários estilos passaram a conviver sem qualquer obrigatoriedade. E justamente por isso há uma certa dificuldade de se pensar em algo característico ou icônico da década passada. 

Vejo a maior liberdade na moda de forma positiva, mas acredito que se tornará cada vez mais complicado falar em tendência. É claro que o inconsciente criativo continuará levando estilistas a criarem peças em comum, porém, se já estamos em um momento em que várias vozes (bloggers, twitters e facebookers) “ditam” moda ao mesmo tempo, no futuro isso poderá se potencializar.
Outra reflexão que me surgiu ao ver tamanhas semelhanças entre “Boyfriend” (Justin Bieber) e “Girlfriend” (N’Sync) seria quanto à capacidade humana em criar o novo. Estaríamos metaforicamente apenas trocando de Justins e mantendo todo o resto igual? Até que ponto a moda ainda pode gerar algo inédito? Inúmeras vezes tenho a impressão de que tudo que se podia inventar já foi feito na moda. Raros são os estilistas que ainda energicamente se dedicam às surpresas, como Viktor & Rolf, Hussein Chlayan, Gareth Pugh, entre outros.

Anos 50 e Prada Spring 2012 – ainda há como criar o novo?

Hussein Chalayan Spring 2007 – dedicado ao inédito

Viktor & Rolf Spring 2011

Bem, a única conclusão a que chego nessas horas é a de que Justin Bieber cansou de ser Gadú e quer roubar a cena pop. Mas confessemos que faltam milhas ainda…

Enhanced by Zemanta

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply