Uncategorized

Os editores atacam novamente

May 8, 2012
Bem, para quem acompanha o Garotos de Saia, provavelmente sabe o quanto eu acho limitado(r) ficar fazendo listas de melhor ou pior de: Oscar, Golden Globes, MET Gala, entre outros eventos.
Ontem teve em Nova Iorque o baile de Gala do Costume Institute do Metropolitan Museum, que daria abertura à exposição “Elsa Schiaparelli and Miuccia Prada’s Impossible Conversations” (“Conversas Impossíveis de Elsa Schiaparelli e Miuccia Prada). Exibição esta que explora as semelhanças das duas estilistas italianas, mesmo vivendo em eras distintas. O fato é que o MET Bowl é sempre um evento muito visado devido à reunião massiva de grandes personalidades da moda internacional. E como consequência previsível, os looks desta realeza fashion rende comentários quase infinitos; e as listas de “mais bem vestidos” e “mais mal vestidos” são intermináveis.
Já comentei no post “Criticar é fácil, complexo é entender” que não há regra e muito menos consenso para se fazer o julgamento com propriedade sobre o melhor ou o pior vestido da noite. Tudo isso é muito relativo e subjetivo ainda mais nos tempos atuais em que não há uma única voz absoluta que dite os rumos do bom gosto. Me surpreende ver que existem pessoas que trabalham diariamente com moda e são limitadas em suas concepções estéticas. Ou seja, não conseguem apreciar quando uma famosa corre riscos para divulgar algo novo ou inusitado. Pessoalmente, acredito que para se trabalhar com artes de forma geral não podemos estar presos a meras convenções habituais do bonito ou feio. É claro que nem todo risco merece ser corrido, e que nem todo visual funciona, mas é mais sábio a busca da compreensão do que a simples aversão.
Para provar que os editores de moda não são mais vozes divinas ditadoras do certo e errado, percebi uma grande controvérsia com alguns looks deste último MET Gala:
Para o site Chic de Glória Kalil as mais mal vestidas do evento foram:
Emma Stone, de Lanvin
Achei injustiça com a Emma Stone colocarem-na como na aba “piores”. Ela ficou graciosa de Lanvin e com esse sorriso de felicidade, bem maroto, conquista qualquer um.
Diane Kruger, de Prada
Christina Ricci, de Thakoon
Já o site americano Fashionista.com, em contrapartida, declarou o total oposto. Pôs Emma e Christina entre suas mais bem vestidas da noite; enquanto Diane ficou como a bem vestida que não foi devidamente valorizada pela crítica – vai entender…
Diane passou de mal vestida para “amazing” com um apenas trocar de sites.
Agora, eu gostaria de mandar um grande beijo para a pessoa fofa que colocou no Fashionista.com a categoria “Best risk-taker” (“Melhores arriscadoras). Isso mostra finalmente que a iniciativa de se vestir diferentemente foi devidamente reconhecida – e é essa a postura em que acredito para os entendedores da moda.  

Coloquei estes corações para expressar o quanto amei essa categoria do Fashionista. PS: Posso dizer que gostei do cabelo da Coco e que isso me faz pensar que cores fantasia sejam tendência mesmo?
O site Fashionista ainda escreveu: “Estas 3 mulheres se arriscaram e independente de qual sua opinião seja sobre elas, elas certamente se divertiram muito ao se arriscar”. É exatamente disso que falo: divertir-se e ser criativo ao se vestir. As roupas são extensões de nossas personalidades, e é justamente por isso que deve ser um processo agradável. 
Já no Chic.com.br Florence ficou sem seu devido reconhecimento 🙁

fontes:
http://fashionista.com/2012/05/met-ball-superlatives/ (acessado em 08-05-2012 às 20:34)
http://chic.ig.com.br/moda/noticia/met-2012-plumas-paetes-e-peplums-fazem-o-tapete-vermelho-do-baile-de-gala-fashionista-em-nova-york (acessado em 08-05-2012 às 20:37)

Enhanced by Zemanta

You Might Also Like

No Comments

  • Reply Iuska May 8, 2012 at 10:38 pm

    Ai sabe…Se a Florence nao se vestisse assim, nao seria A FLORENCE.

  • Leave a Reply