Diário

Cara a tapa

June 18, 2015

mascara-gui-takahashi

 

 

Toda vez que posto uma foto minha aqui me sinto meio idiota. Afinal, não sou bom no carão. Mas além disso, minha inibição também está ligada ao receio de fazer parte de uma geração extremamente narcisista, onde a selfie não tem limites, todos se acham incrivelmente especiais e o interesse particular é publicizado. Ou ainda, me tornar aquele tipo de blogger que adora se promover… Urgh!

Só que, de um tempo pra cá tenho pensado que em algumas situações, não mostrar a cara pode atrapalhar. Ao falar de alguma base, por exemplo, é importante mostrar o resultado na pele. Cobertura, correção e acabamento ficam melhores ilustrado com a ajuda de um clássica foto de “antes e depois” da make.

Além disso, acho importante que rostos gays comecem a tomar forma dentro de uma sociedade que ainda insiste no machismo e onde as únicas possibilidades de gênero são apenas duas. Não ter cara colabora pra marginalização.  A exposição ajuda a humanizar, a dar nome, endereço e cara ao que antes era considerado abominação. Aos poucos temos feito isso. Como sou otimista, acredito que temos conseguido progredir em termos de aceitação e tolerância, mas a melhora não quer dizer que chegamos lá.

Por isso estou criando mais coragem pra começar a dar a cara a tapa, já que na rua faço isso quase que diariamente.

-G

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply