Beleza

Meu guia do protetor solar

January 12, 2017

Acho que até Kimmy Schmidt, que ficou trancada em um buraco debaixo da terra por mais de 15 anos, sabe o quão importante é usar o protetor solar. Ainda mais no Brasil, onde a incidência de radiação UV chega a níveis extremos (maiores até que do deserto do Saara, acredite) proteger-se é necessário. A exposição ao sol pode causar queimaduras, manchas na pele, envelhecimento precoce, aumento da flacidez e levar até ao câncer.

Como sou descendente de japoneses, aprendi com a minha avó a fugir do sol. No Japão a galera curte se manter o mais branco possível. Além disso, sempre tive medo de estragar a pele, ficar esturricado e parecendo mais velho. O protetor solar é considerado um anti-idade poderoso, uma vez que ele evita a oxidação causada pelos raios UV e por isso virou item indispensável pra mim. Durante alguns anos trabalhando como jornalista de beleza, descobri fatos interessantes, que nem sabia, e que podem ajudar você a se manter melhor protegido no verão.

1 – FPS certo
O número na embalagem do seu filtro solar indica quantas vezes mais sua pele estará protegida. Por exemplo: Se você é bem claro e levaria 5 minutos no sol para começar a ficar vermelho, com um protetor de FPS 30, precisaria de 150 minutos (30×5) para chegar nesse estágio.

Honestamente, imaginava que esse tempo todo de proteção fosse balela e um grande mal entendido, já que sempre escutei os médicos recomendando reaplicar o filtro a cada 2 horas. O que eu não sabia era que o motivo da reaplicação era outro: como o protetor solar sai da pele facilmente com o suor, o mergulho, o toque e qualquer outra esfregada, dificilmente ele permanece na pele depois de 2 horas. Resumindo, passar e repassar constantemente é preciso, sim.

Atualmente, existem protetores solares que duram mais tempo porque têm uma aderência maior. Eles normalmente são em stick e grudam bem na pele.

A recomendação geral dos dermatologistas é usar FPS 30. Mas se você vai ficar direto no sol, se queima fácil, tem a pele sensível ou já passou por um câncer de pele, melhor apostar no fator 60.

Um fato curioso é que o FPS da embalagem se refere a proteção dos raios UVB, principais causadores da queimadura e que atingem a parte mais superficial da pele. No entanto, devido a uma resolução do Ministério da Saúde e da Anvisa, o nível de proteção UVA do produto não pode ser menor que 1/3 do FPS apontado no rótulo.

2 – Fórmulas leves
Muita gente ainda associa protetores solares a fórmulas pesadas e gordurosas. Isso acontecia porque os fatores mais altos de proteção precisavam de mais óleo para se diluir, se solubilizar. No entanto, hoje existem componentes mais modernos que absorvem esses óleos e mantêm a pele com uma sensação agradável e sequinha.

3 – Quantidade certa
Os dermatos dizem que o ideal é usar 2mg de filtro solar por cm² de pele. Mas vamos combinar que é difícil ter uma noção por essa métrica tão formal. Para facilitar, é assim: 1 colher de chá de protetor solar para o rosto e pescoço, 2 colheres de sopa para o tronco e costas, 1 colher de sopa para cada braço, e 2 colheres de sopa para cada perna.

Se a quantidade mínima não estiver lá, seu protetor não vai proteger o quanto diz o rótulo. O mesmo vale para as maquiagens com FPS. Se você aplicou uma camada muito leve, ficou polindo com o pincel e tal, provavelmente só o BB cream ou a base com filtro não vão dar conta de segurar os raios UV. O ideal é fazer um combo do protetor solar + make com filtro solar.

4 – Primeira aplicação
Ela é essencial e deve ser feita em casa, enquanto você não se vestiu, está seco, limpo e não suou. É na primeira aplicação que você vai criar um filme de proteção. Por mais que seja necessário reaplicar, se a base estiver bem feita, você ficará mais seguro. Fazer a primeira aplicação do dia na areia da praia não é ideal porque você já vai estar vestido e provavelmente suado; a sunga/shorts/bikini podem mudar de lugar e deixar você desprotegido, enquanto o suor torna mais difícil a fixação do filtro sobre a pele úmida.

5 – Proteção e Maquiagem
Filtros solares com cor protegem mais. É que, além de filtrar os raios UV, a fórmula contém pigmentos que conseguem barrar os danos que a luz artificial de ambientes internos, a do monitor do computador, da tv, do celular, que podem causar na pele, como maior oxidação das células e manchas.

6 – Jeito de passar
Ah, não se esqueça que dependendo da textura do seu protetor solar ele pode ter uma forma de aplicar específica. Loções podem ser espalhadas com as mãos em movimentos circulares, por exemplo. Já aqueles em gel, é melhor passar em uma direção única porque massagear ou esfregar pode fazer o produto esfarelar na pele, retirando a camada protetora. Os filtros em spray pedem uma camada generosa e sem espalhar com as mãos, também para não comprometer a cobertura.

7 – Reaplicar sobre a make
Esse era meu drama pessoal. Passo o protetor solar todo dia antes da maquiagem, mas sempre fiquei sem retocar porque nunca tive coragem de estragar a make ou refazer a pele toda no meio do expediente de trabalho. O lance, no entanto, é que eu tava sendo uma bicha burra. A saída dada pelos médicos é comprar pó com FPS. Aí, é só passar por cima de tudo bem feliz. Além de tirar o brilho de oleosa, você fica protegida, bi.

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply Virtual Private Servers September 9, 2017 at 3:11 am

    Muitas instituicoes de saude recomendam usar protetor solar para se proteger de queimaduras e reduzir o risco de cancer de pele.

  • Reply Fabiana January 14, 2017 at 9:46 am

    Legal seu guia… muitas pessoas nao sabem da importância do FPS.

  • Leave a Reply