Diário

O que “Sua Cara” de Pabllo Vittar e Anitta representa

July 31, 2017

Dia 30 de julho de 2017, um domingo que tinha tudo para ser como qualquer outro, exceto pelo fato de que fizemos história, manas! Era 17 horas quando “Sua Cara”, o vídeo do single de Major Laser, Diplo, Anitta e Pabllo Vittar conheceu o mundo e o tornou um lugar melhor. Pode parecer otimismo demais da minha parte, mas sempre venho aqui pra chorar pitangas, então acho justo que também seja hora de comemorarmos uma conquista. Mas que conquista? – talvez você me pergunte. Pois então, segura esse forninho que vou traduzir o que a maravilhosidade desse clipe pode representar:

1. Um dia péssimo pras homofóbicas

Eu tava na casa de um amigo quando colocamos o vídeo recém-lançado de “Sua Cara” pra tocar. Foi só a música começar que já me arrepiei todo, como se fosse copa do mundo. Anitta, num look meio Kim Kardashian West (cabelo compridão + óculos de lentes planas e gigantes), cantarolando na batida crescente foi aumentando minha expectativa; quase como um hétero deve se sentir numa partida de futebol quando o atacante entra na área com posse de bola. E bastou então a tela ficar rosada e eu ver Pabllo QUEEN Vittar cantar “Chegueeei, tô preparada pra atacar” que entrei em êxtase. Aquilo era um gol! Gooool das LGBTQs! Não existe outro momento na história da humanidade que eu gostaria de estar vivendo. É muito bom poder testemunar uma drag queen alcançar a visibilidade que Pabllo conquistou, e o melhor: nos fazendo felizes e orgulhosos com seu talento de sobra, gogó afinado, poder no acuendo e muita lace no picumã <3 O clipe atingiu o sétimo lugar dentre os vídeos mais vistos do Youtube mundial dentro de 24 horas, com uma marca de 17 milhões de views. Pra quem acredita que gay é abominação, ontem puderam ver Sodoma e Gomorra em full HD pela internet.

2. Um dia horrível pra ser gay discreto machista

Ver Pabllo Vittar, maranhense linda, em toda sua glória de 1,87 de altura e em cima de uma bota com saltos vertiginosos, rebolando lindamente com uma peruca de fios loiros de 3 metros, toda escovada e sem um nózinho, foi mais inspiração que meus 3628916 boards do Pinterest juntos. Meus olhos vidrados na tela com cada movimento da diva só diziam uma coisa para meu cérebro: Quero ser como ela! Sim, a cantora é um modelo de atitude, talento e sucesso inquestionáveis para nós, gays babadeiras. Nessas horas penso: que triste deve ser ter que bancar o macho-discreto-sigilo que não poder rebolar na frente do computador batendo cabelo livremente como a gente bem gosta.

3. Um dia terrível pra não ser brasileiro

Se você pensa que a internet é dos norte-americanos, pense de novo. 17 milhões de visualizações em 24 horas. Esse é o Brasil, minha gente! Nos tornamos um país obrigatório na rota de qualquer um que queira ser relevante na rede. A gente comenta, curte, brinca, enche o saco e faz meme de qualquer celebridade. Não tem uma diva do pop que não enlouqueça com os fãs brasileiros que invadem o Tweeter, o Youtube, o Facebook e, mais recentemente, o Sarahah. Gretchen tá aí pra provar que somos garantia de uma audiência eloquente, tanto que fizemos “Swish Swish” ser o lyric video mais visto da Katy Perry em 24 horas, com mais de 6 milhões de views. Nós dominamos a world wide web! Lidem com isso, gringos.

4. Um dia lamentável pros esteriótipos

Percebeu que Pabllo não usa enchimento no corpo pra reproduzir curvas da silhueta feminina? Ela não coloca peito nem quadril de espuma. Descuido? Não acredito que seja o caso, até porque Vittar é muitíssimo bem produzida, com figurinos fantásticos, makes arrasadoras e perucas perfeitas. Acho mesmo que a falta de padding (técnica de moldar o corpo com espuma) seja uma afirmação de que a artista é uma drag, sim, e não tem a pretensão de ser mulher e nem atender uma expectativa de um corpo feminino esteriotipado. E vamos confessar que Anitta e Pabllo estavam em pé de igualdade em termos de lindeza, maravilhosidade e gostosura.

5. Um dia do caralho pra ser viada afeminada brasileira

Não sou drag queen, mas nunca me vi tão bem representado na mídia quanto com esse clipe. A música já grudou no meu cérebro antes mesmo do lançamento do vídeo. O figurino é atual e certeiro, sexy e moderno, sem cair no caricato. A locação tira o fôlego de qualquer um e os quadriciclos foram uma boa sacada pra manter o cenário dinâmico, ao invés de estático. O gingado de Anitta, Pabllo e das dançarinas é destruidor. Só quero dizer que vai ter muita bicha rebolando na sua cara. Como dizem por aí, as pessoas de perfil com o sufixo real_oficial: “Parabéns a todos os envolvidos!”

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply